quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Spinacia oleracea

Nome comum: Espinafre

Depois do transplante, em 30/01/2008:


Exemplares (12): As sementes vieram junto com a terra do Aloe arborescens e começaram a despontar no início de Novembro de 2007 (v. Aloe arborescens). 

Indicações de cultivo: A planta possui flores masculinas e femininas, o caule é curto e as folhas crescem ao seu redor. Os solos mais indicados para esta cultura são os areno-argilosos, férteis, e adubados de acordo com o resultado da análise de solo. O pH indicado deve ficar entre 6 e 7. A propagação é feita por sementeira, normalmente no Outono e no Inverno, cultivando-se em locais pouco expostos. Para acelerar a germinação coloca-se as sementes em água durante 24 horas antes da semeadura. Quando as plantinhas apresentarem de 4 a 5 folhas, devem ser transplantadas para o local definitivo. A colheita pode ser realizada de 40 a 60 dias após a sementeira. Em geral, após este período, as folhas estão com cerca de 25 a 32 cm de comprimento, apresentando uma forte coloração verde-escura. É uma planta relativamente resistente a pragas e doenças. Necessita de regas diárias (ou irrigação nas sementeiras) mas é sensível ao encharcamento. Aconselha-se uma adubação de cobertura após o transplante dos pés para o local definitivo. Além disso, a adubação deve ser reforçada após cada corte das plantas.

Uso culinário: É muito usado em sopas, saladas, pudins, quiches, puré, etc.

Uso medicinal: O espinafre é uma planta bastante apreciada pelas suas características nutritivas, por conter muitas vitaminas, principalmente vitamina C e por ter cerca de 25 calorias em cada 100g. Além disso tem é muito rico em ferro e contém boas quantidades de caroteno, potássio e ácido fólico. Trata a anemia ferripriva, prisão de ventre, atonia intestinal, queimaduras (que não formem bolhas), acne, raquitismo e desmineralização.

Contra-indicações: Devido ao seu alto teor de minerais e, especialmente, pelos seus oxalatos, o espinafre deve ser evitado por pessoas que sofram do fígado, dos rins, de reumatismo ou de diabetes, bem como em estados inflamatórios do tubo digestivo ou das vias urinárias.

4 comentários:

rose disse...

Olá, como vai?
Conheço como espinafre, a folha que o "marinheiro " come e fica forte.
Toda vez que planto , os caramujos devoram .

Dama do Lago disse...

Olá :)

O espinafre é isso mesmo. Mas os caramujos são o quê? Em Portugal, caramujo é caracol do mar...

Jardineira aprendiz disse...

A minha mãe cultiva numa estufa que tem, onde mistura horticolas com ornamentais, em terra e em vaso, enfim, uma grande confusão. E os espinafres nascem por todo o lado, embora ela os cultive na terra eles nascem nos vasos, por isso suponho que as sementes saltam longe.

Olha, não sabia que havia restrições ao consumo, se calhar não se deve abusar.

Creio que estes são os chamados espinafres da Nova Zelândia, e penso que o nome botânico é diferente, mas não tenho a certeza. Tenho esses nomes algures, se encontrar confirmo-te.

Dama do Lago disse...

Olá Jardineira :)

Não sabia que havia mais espécies de espinafre... andamos sempre a aprender!